A PARÁBOLA DO FERMENTO

INTRODUÇÃO

Mateus 13: 33 = “Disse-lhes outra Parábola: O reino dos Céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo  levedado”

O reino dos Céus = Descendência teológica e Religiosa em Abraão. Ver o Artigo “O Enigma do Judaísmo, Islamismo, Cristianismo, no Site”;

Precisa ficar entendido a expressão “O reino dos Céus é semelhante ao fermento”, isto é, num determinado tempo Profético os Sistemas Teológicos/Religiosos de Deus na Terra estarão sob influência caracterizada pelo “fermento”

Fermento = Heresias, Descaracterização Religiosa, Conveniências, Interesses Pessoais;

O “fermento” é o Símbolo Teológico da malícia e do crescimento pelo elemento falso – Herético – introduzido no Sistema Religioso; (Mateus 16: 6) (Marcos 8: 15) (Lucas 12: 1) (Lucas 13: 21).

Mateus 16:

6 – E Jesus disse-lhes: Adverti, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.

Marcos 8:

15 – E ordenou-lhes, dizendo: Olhai, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes.

Lucas 12:

1 – Ajuntando-se entretanto muitos milhares de pessoas, de sorte que se atropelavam uns aos outros, começou a dizer aos seus discípulos: Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia.

Lucas 13:

20- Disse mais: A que compararei o reino de Deus?

– Atenção: Jesus está referindo-se ao reino de Deus aqui na Terra.

21 – É semelhante ao fermento que uma mulher tomou e escondeu em três medidas de farinha, até ficar tudo levedado.

Mulher = Sistema Religioso sob influência humana; Observar que não foi Deus, e sim o ser humano – homem ou mulher – que introduziu ou escondeu o “fermento” na farinha;

Ver a simbologia teológica e enigmática a respeito da expressão “mulher”, em Apocalipse 12: 1 a 17 e Apocalipse 17: 1 a 18.

Farinha = Simbolicamente, alimento espiritual de procedência Divina

A PARÁBOLA PARA A NOSSA ÉPOCA

Três medidas de farinha = Três medidas de alimento espiritual/Celestial, caracterizados pelo Velho Testamento, Novo Testamento e Alcorão.

Para entender a inclusão do ALCORÃO, ver o Artigo “O Enigma do Judaísmo, Islamismo, Cristianismo”, no Site;

Por que três? = Enigma Profético do Judaísmo, Islamismo, Cristianismo como as três Verdadeiras Religiões do Reino de Deus, no mesmo tempo Profético;

Até ficar tudo levedado = O ENIGMA está no fato de que não foi a mulher que  produziu  a farinha.

A Parábola não diz que foi a mulher que providenciou a farinha, e nem diz que as três medidas estavam unidas ou misturadas.

A farinha em três medidas não pertence a mulher. A mulher introduziu ou escondeu o “fermento” em cada uma das três medidas de farinha, até que tudo esteja levedado;

“introduziu ou escondeu” = detalhe da maior importância a ser observado.

“tudo” = Como são três medidas separadas, refere-se a casa uma de per si.

Levedado = Enigmaticamente, descaracterizado apesar do crescimento em quantidade de pessoas, como vemos nas três Religiões citadas, no mesmo tempo do cumprimento Profético.

MISSÕES

O Texto Bíblico sobre Missões mais conhecido está em Marcos 16: 15 = “E Disse-lhes:  Ide por todo o Mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura”

O Trabalho de Missões deve ser esclarecedor quanto à importância de aceitar a Jesus como Salvador e não correr o risco de ser condenado no Juízo Final

O Trabalho de Missões deve ser direcionado para os Povos Gentios, isto é, Povos não Judaizantes e Povos não Mulçumanos;

Por que?!

1 ) – Os Povos Judaizantes têm o Velho Testamento para sua Salvação ( Daniel 7: 9 e 10 );

Daniel 7:

9 – Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; a sua veste era branca como a neve, e o cabelo da sua cabeça como a pura lã; e seu trono era de chamas de fogo, e as suas rodas de fogo ardente

10 – Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros.

2 ) – Os Povos Mulçumanos têm o Alcorão para sua Salvação (2ª Surata 286) ( 3ª Surata 30 );

2ª SURATA: 286 – O BEM E O MAL

286 – Deus não impõe a nenhuma alma uma carga superior às suas forças(133). Beneficiar-se-á com o bem quem o tiver feito e sofrerá mal quem o tiver cometido. Ó Senhor nosso, não nos condenes, se nos esquecermos ou nos equivocarmos! Ó Senhor nosso, não nos imponhas carga, como a que impuseste a nossos antepassados! Ó Senhor nosso, não nos sobrecarregues com o que não podemos suportar! Tolera-nos! Perdoa-nos! Tem misericórdia de nós! Tu és nosso Protetor! Concede-nos a vitória sobre os incrédulos!

3ª SURATA: 30 – O BEM E O MAL

30 – No dia em que cada alma se confrontar com todo o bem que tiver feito e com todo o mal que tiver cometido, ansiará para que haja uma grande distância entre ela e ele (o mal). Deus vos exorta a d’Ele vos lembrardes, porque Deus é Compassivo para com os Seus servos.

Preste Atenção:

Os demais Povos – Gentios – devem ter prioridade de Evangelização para serem alcançados pela Salvação prometida a Abraão, através de Jesus Cristo;

Precisa ficar esclarecido que os Povos Judaizantes e Mulçumanos devem ser alcançados sempre que for possível, porém, esses Povos estão sob Promessa de Salvação através do Juízo Final, conforme o Velho Testamento e Alcorão, seus Livros de Fé e de Prática, cumprindo Promessa a Abraão e sua descendência;

O Trabalho de Missões precisa ser reformulado, Sistematicamente, a fim de seguir direção Teológica convergente e abrangente, envolvendo o Velho Testamento, Novo Testamento e Alcorão, deixando para o “esclarecido” o Livre Arbítrio de Sua Salvação;

Certamente que todo o espaço já alcançado deve ser motivo de continuidade e apoio, entretanto todo o esforço maior deve ser direcionado para os Gentios;

Para entender esta ousada afirmação, necessário se faz ler o Artigo “O Enigma do Judaísmo – Islamismo – Cristianismo, no Site.

Grandes Sacrifícios e Desperdícios seriam evitados, e muitos Resultados Positivos seriam alcançados, se, a Verdade Teológica, sem interesses e conveniências, fossem empregados no Trabalho de Missões.

Pense Nisso:

Enquanto os Evangélicos procuram converter os Mulçumanos, os Mulçumanos não perdem tempo em converter os esclarecidos Evangélicos, e, estão convertendo os Gentios, tornando-se o Islamismo a Religião predominante no Mundo.

RESUMINDO:

A pergunta que os Teólogos não gostam de responder sobre os que nunca conheceram a Verdade desde a Criação até o presente e morreram, e morrem sem Cristo, é respondida superficialmente em Romanos 2: 1 a 16 e Atos 17: 30 e 31.

Romanos 2: 1 a 16 por ser muito extenso deixo para o Leitor consultar sua Bíblia.

Atos 17:

30 – Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;

31 – Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.

Precisa ficar entendido que todos os GENTIOS que viveram ou venham a viver sem ter conhecimento da Salvação em Cristo Jesus, serão julgados pela Justiça Divina, segundo o Bem e o Mal que praticaram, e, terão que comparecer diante do Trono Branco, no Juízo Final ( Apocalipse 20: 11 a 15 ):

Apocalipse 20:

11 – E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles.

12 – E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante de Deus, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.

“e abriram-se os livros” = Velho Testamento, Novo Testamento e Alcorão.

“e abriu-se outro livro, que é o da vida” = Refere-se ao Livro da Vida do Cordeiro, conforme Apocalipse 21: 27:

E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. Apocalipse 21:27;

Corroborado com as seguintes referências: Apocalipse 3: 5; 13: 08; 17: 8; 20: 15; 22: 19.

13 – E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras.

14 – E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.

15 – E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.

Preste Atenção:

– Existe um Julgamento Final ( Daniel 7: 9 e 10 ),

logo, existe uma Balança da Justiça de Deus,

caracterizada pela afirmação em Daniel 5: 27 – “pesado foste na balança, e achado em falta”,

além das afirmações em Romanos 2: 1 a 16 ; Atos 17: 30 e 31 ; Apocalipse 20: 11 a 15 ;

O Alcorão também fala do Juízo Final ; ( 2ª Surata 286 ) ( 3ª Surata 30 ).

O Julgamento Final para os que viveram antes de Cristo, e os que nunca receberam o Evangelho da Salvação em Cristo, a resposta está que serão avaliados segundo o BEM e o MAL que tenham praticado conforme podemos entender  generalizadamente em Deuteronômio 1: 39,

Deuteronômio 1:

39 – E vossos meninos, de quem dissestes: Por presa serão; e vossos filhos, que hoje não conhecem nem o bem nem o mal, eles ali entrarão, e a eles a darei, e eles a possuirão.

bem como, as afirmações de Jesus sobre o estado de inocência e “Salvação” das crianças ( Marcos 10: 14 e 15 ),

Marcos 10:

14 – Jesus, porém, vendo isto, indignou-se, e disse-lhes: Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus.

15 – Em verdade vos digo que qualquer que não receber o reino de Deus como menino, de maneira nenhuma entrará nele.

e o estado de consciência alcançado para escolher e fazer o Bem e o Mal, pelos demais ( João 5: 29 );

João 5:

29 – Os que tiverem feito o Bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o Mal, para a ressurreição do Juízo.

Quanto a complexidade que envolve a Salvação Eterna necessário se faz ler o Artigo “A SALVAÇÃO E A VIDA ETERNA”, no Site.

CONCLUSÃO

O Reino dos Céus –   descendência teológica e Religiosa em Abraão –  é semelhante ao “fermento” – símbolo da malícia e do crescimento pelo elemento falso introduzido no Sistema Religioso – que uma mulher –  Sistema Religioso sob influência humana – introduz em três medidas de farinha – Três medidas de alimento espiritual, caracterizados pelo Judaísmo, Islamismo e Cristianismo – até que tudo esteja levedado – enigmaticamente, descaracterizado apesar do crescimento em quantidade de pessoas, como vemos nas três Religiões citadas, no mesmo tempo do cumprimento Profético.

O Reino de Deus aqui na Terra refere-se, teologicamente e religiosamente, à descendência Espiritual, Teológica e Religiosa em Abraão ( Gênesis 12: 1 a 3 ):

Gênesis:

12:1 – ORA, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei.

 12:2 – E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção.

 12:3 – E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra.

Abraão é indubitavelmente o Patriarca das três Religiões que cultuam o Único Deus Verdadeiro:

Judaísmo, Islamismo, Cristianismo;

JUDAÍSMO: em Abraão pai de Isaque, pai de Jacó e pai das doze Tribos de Israel:

1 Crônicas 2: 1 e 2:

 2:1 ESTES são os filhos de Israel: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zebulom;

 2:2 Dã, José e Benjamim, Naftali, Gade e Aser.

ISLAMISMO: em Abraão pai de  Ismael, pai de doze filhos que constituíram os Árabes Ismaelitas de onde Deus levantou o Profeta Maomé;

Os Árabes Ismaelitas são originários de 12 (doze) filhos de Ismael, filho de Abraão – DOZE Príncipes, profeticamente, anunciados por Deus, em Gênesis 17: 20:

Gênesis 17: 20 – Quanto a Ismael, eu te ouvi: abençoá-lo-ei, fá-lo-ei fecundo e o multiplicarei extraordinariamente, gerará doze príncipes, e dele farei uma grande nação

Preste atenção no detalhe, acima, enigmático e transcendental, quando Deus, literalmente e diretamente,  afirma que ISMAEL seria pai de 12 filhos, mesmo número dos filhos de ISRAEL ( Jacó ) , E, mesmo número dos Discípulos de Jesus.

Gênesis 25: 12 a 18:

 25:12 Estas, porém, são as gerações de Ismael filho de Abraão, que a serva de Sara, Agar, egípcia, deu a Abraão.

 25:13 E estes são os nomes dos filhos de Ismael, pelos seus nomes, segundo as suas gerações: O primogênito de Ismael era Nebaiote, depois Quedar, Adbeel e Mibsão,

 25:14 Misma, Dumá, Massá,

 25:15 Hadade, Tema, Jetur, Nafis e Quedemá.

 25:16 Estes são os filhos de Ismael, e estes são os seus nomes pelas suas vilas e pelos seus castelos; doze príncipes segundo as suas famílias.

 25:17 E estes são os anos da vida de Ismael, cento e trinta e sete anos, e ele expirou e, morrendo, foi congregado ao seu povo.

137 = 1+3+7 = 11

 25:18 E habitaram desde Havilá até Sur, que está em frente do Egito, como quem vai para a Assíria; e fez o seu assento diante da face de todos os seus irmãos.

CRISTIANISMO: em Abraão de cuja descendência Deus gerou Jesus – o Onipotente – revestido do Onipresente –Espírito Santo.

Lucas

3.22   e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea como pomba; e ouviu-se uma voz do céu: Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo;

Ver o Artigo “O ENIGMA DA DIVINDADE DE JESUS”, no Site.

Preste atenção no detalhe enigmático caracterizado pelo fato do Cristianismo ter sua formação através de 12 (DOZE ) descendentes de Abraão :

Marcos 3: 13 a 19

 3:13 – E subiu ao monte, e chamou para si os que ele quis; e vieram a ele.

 3:14 – E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar,

 3:15 – E para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios:

 3:16 – A Simão, a quem pôs o nome de Pedro,

 3:17 – E a Tiago, filho de Zebedeu, e a João, irmão de Tiago, aos quais pôs o nome de Boanerges, que significa: Filhos do trovão;

 3:18 – E a André, e a Filipe, e a Bartolomeu, e a Mateus, e a Tomé, e a Tiago, filho de Alfeu, e a Tadeu, e a Simão o Zelote,

 3:19 – E a Judas Iscariotes, o que o entregou.

 Jesus chamou 12 Discípulos, sendo que 1 (um ) se perdeu.

–  Paulo foi chamado, por Jesus, na Estrada de Damasco, e tomou o lugar de Judas Iscariotes ( Atos 9: 1 a 30 ); A “chamada” de Paulo foi sobrenatural, como foi sobrenatural o seu Ministério;

–  O sorteio que os 11 Discípulos fizeram para escolher o substituto de Judas, não foi vontade de Deus, tanto é que MATIAS, o escolhido, não se destacou. ( Atos 1: 15 a 26 )

Preste mais atenção ainda no detalhe de que o Judaísmo o Islamismo e o Cristianismo professam um único DEUS, além de outros pontos dogmáticos em comum, e, todos, abominam a Idolatria, acreditam na Ressurreição e no Juízo Final;

Maiores detalhes através do Artigo “O ENIGMA DO JUDAÍSMO – ISLAMISMO – CRISTIANISMO, no Site.

Jesus ao proferir a Parábola do Fermento estava, também, profetizando, enigmaticamente, sobre as referidas Religiões que hoje compõem o Reino de Deus  aqui na Terra;

Jesus ao afirmar que o Reino de Deus é semelhante ao fermento estava chamando à atenção para os Religiosos de Sua Época e Profetizando para os Tempos atuais, pois o fermento simboliza tudo o que não condiz com a vontade de Deus, conforme explicado teologicamente.

A PARÁBOLA PARA A ÉPOCA DE JESUS

As Três Medidas de Farinha citadas na Parábola se referem, inicialmente, às Três Principais Seitas Religiosas, todas de Judeus em Abraão:

FARISEUS – SADUCEUS – ESSÊNIOS

Quando estudamos o comportamento dessas Três Seitas podemos entender como tudo ficou levedado quando da destruição de Jerusalém em 70 DC;

O Historiador Judeu Flávio Josefo no seu Livro “HISTÓRIA DOS HEBREUS”, narra com os mínimos detalhes como Três Principais Facções Políticas/Religiosa dos Judeus ocasionaram a destruição de Jerusalém no Ano 70 DC, conforme referências nos Livros Quinto, Sexto e Sétimo, da página 638 até a página 706, Obra Completa, da Editora CPAD.

Certamente a Parábola possui outras interpretações enigmáticas de efeito localizado, pois, o fermento é citado em situações diversas, mas sempre com efeito malicioso de elemento falso introduzido no Sistema Religioso do Reino de Deus aqui na Terra;

A Parábola termina com a expressão “até que tudo esteja levedado”:

Tudo indica que Deus não suportando mais o “fermento”, comparando aos Juízos:

como foi no Dilúvio,

destruição de Sodoma e Gomorra,

e destruição da Cidade de Jerusalém, em 586 AC e 70 DC,

promoverá o Arrebatamento da Igreja

seguido da Grande Tribulação de 7  anos,

seguido da Volta de Jesus para implantar o Reino Milenial,

culminando pelo Juízo Final

e transformação do Novo Céu e Nova Terra.

CONCLUSÃO FINAL

“ATÉ QUE TUDO ESTEJA LEVEDADO” = Já está ???

…………………………………………….. X ………………………………………….

Próximos Assuntos a serem incluídos no Site, paulatinamente:

O ENIGMA DO TRONO BRANCO

OBS: Na hipótese de concordar que o Assunto é importante, copie o endereço do Site www.assuntospolemicosdabiblia.com, imprima o máximo numa folha A4, corte em pedaços, e distribua, como instrumento de fazer a Obra do REINO DE DEUS.

3 comentários para A PARÁBOLA DO FERMENTO

  • Wagner Monteiro  disse:

    Glórias a DEUS, por isso. Que Deus te abençoe irmão, grandemente, muito obrigado pelo ensinamento.

  • ANDRÉ CATELAN LIMA  disse:

    MARAVILHA DE TODAS AS PUBLICAÇÕES QUE LI ESTA FOI A MAIS LOGICA APRONFUNDADA E DE FACIL ENTENDIMENTO.PAZ

  • vamderligia  disse:

    Gloria a Deus e muito maravilhoso lê tanta sabedoria que o Senhor sempre te abençoe,

Comente

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>