O ENIGMA PROFÉTICO DAS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

INTRODUÇÃO

Este é um dos Assuntos Teológico, Profético e Enigmático que tem dado margem a muitas especulações e criando muita discussão desencontrada;

Neste Estudo procurei embasamento em Exegese e Hermenêutica, contextualizada com as informações cronológicas e históricas, amplamente publicadas em Livros, Enciclopédias e afins;

Estou começando com a Profecia de Jeremias 25: 11 e 12, como introdução à Profecia de Daniel 9: 24 a 27;

A Profecia de Jeremias 25: 11 e 12 , refere-se ao Cativeiro dos Judeus pela Babilônia, de 70 anos

A Profecia das 70 Semanas de Daniel 9: 24 a 27, foi revelada por Deus durante o Cativeiro Babilônico:

Para um completo entendimento e discernimento da Profecia de Daniel 9: 24 a 27, primeiro é necessário um conhecimento, entendimento e discernimento da Profecia de Jeremias 25: 11 e 12 e Jeremias 29: 10:

Jeremias 25: 11 = ” Toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; estas nações servirão ao rei de Babilônia setenta anos

Jeremias 25: 12 = “Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, castigarei a iniqüidade do rei da Babilônia e a desta nação, diz o Senhor, como também a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas”;

Jeremias 29: 10 = “Assim diz o Senhor: Logo que se cumprirem para Babilônia setenta anos atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar”

 

DETALHES SIGNIFICATIVOS:

586 A.C. = Deu-se a 3ª e última etapa do Cativeiro de Judá ( Jerusalém ) em Babilônia, com a destruição do Templo ( 2ª Reis 25: 8, 9 e 10 );

2ª Reis 25: 8 = “No sétimo dia do quinto mês, do décimo nono de Nabucodonosor, rei de Babilônia, Nebuzaradã, chefe da guarda e servidor do rei de Babilônia, veio a Jerusalém”.

2ª Reis 25: 9 = “E queimou a casa do Senhor e a casa do rei, como também todas as casas de Jerusalém; também entregou às chamas todos os edifícios importantes“.- 586 A.C.

2ª Reis 25: 10 = “Todo o exército dos caldeus que estava com o chefe da guarda, derribou os muros em redor de Jerusalém”.

516 A.C. = Deu-se a completa restauração e inauguração do Templo pelos primeiros Judeus que retornaram do Cativeiro, para Jerusalém,  profetizado por Jeremias 25: 11 e 12, contextualizando com 2ª Crônicas 36: 22 e 23 :

2ª Crônicas 36: 22 = “Porém, no primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor por boca de Jeremias, despertou o Senhor o espírito de Ciro, rei da Pérsia, o qual fez passar pregão por todo o seu reino, como também por escrito, dizendo:”

2ª Crônicas 36: 23 = “Assim diz Ciro, rei da Pérsia: o Senhor, Deus dos céus, me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que está em Judá; quem  entre vós é de todo o seu povo, que suba, e o Senhor seu Deus seja com ele”  – 536 A.C.

 

A Profecia de Jeremias 25: 11 e 12 possuem 2(dois) ENIGMÁTICOS sentidos;

Um FÍSICO e um ESPIRITUAL, para os JUDEUS;

O Primeiro, caracterizado por um Cativeiro físico em 3 etapas e que começou em 606 A.C. ( 2ª Reis 24: 1 , continuou em 597 A.C. ( 2ª Reis 24: 10 a 17 ), e concluído em  586 A.C. ( 2ª Reis 25: 1 a 22 );

O Cativeiro Físico terminou em 536ª A.C.com a derrota de Babilônia pela Pérsia, sob o Governo de Ciro, conforme referência em 2ª Crônicas 36: 22 e 23 e Esdras 1: 1., e, com o retorno dos primeiros Judeus para Jerusalém;

606 – 536 = 70 ANOS

O Segundo, caracterizado por um Cativeiro Espiritual que começou com a destruição do TEMPLO em 586 A.C. ( 2ª Reis 25: 1 a 22 ), e terminou com a inauguração do Novo TEMPLO em 516 A.C., conforme referência em Esdras 6: 13 a 18

586 – 516 = 70 ANOS

Entender o Enigmático e Profético Cativeiro Espiritual de 70 anos, necessário é entender todo o Capítulo 7 do Livro do Profeta Jeremias. Neste Capítulo está caracterizado que os Judeus confiavam no Templo, como forma de proteção, entendendo que Deus não permitiria a sua violação, principalmente, pela presença da Arca do Concerto – ver “O Enigma do Desaparecimento da Arca do Concerto”.

Vou citar apenas quatro versículos do Capítulo 7 de Jeremias para contextualizar o Profético e Enigmático Cativeiro Espiritual:

Jeremias 7: 4 = “Não confieis em palavras falsas, dizendo: Templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este”;

Jeremias 7: 9 = “Que é isso? Furtais e matais, cometeis adultério e jurais falsamente, queimais incenso a Baal e andais após outros deuses que não conheceis,”

Jeremias 7: 10 = “e depois vindes e vos pondes diante de mim nesta casa, que se chama pelo meu nome, e dizeis: Estamos salvos; sim só para continuardes a praticar estas abominações!”

Jeremias 7: 14 = “Farei também a esta casa, que se chama pelo meu nome, na qual confiais, e a este lugar, que vos dei a vós outros e a vossos pais, como fiz a Silo”

 

CATIVEIRO ESPIRITUAL: Pela ausência da Glória de Deus, e, escravidão pelas trevas

JUÍZO DE DEUS APÓS 70 ANOS DE REINADO PARA BABILÔNIA

JEREMIAS 25: 12 ,e, JEREMIAS 29: 10, em Profecia, cita, que BABILÔNIA também seria atingida, enigmaticamente, após 70 anos, tempo que durou o seu REINADO MUNDIAL, isto é, de 606 A.C. a 536 A.C., período do Cativeiro Físico dos JUDEUS que começou em 2ª Reis 24: 1 e terminou com o domínio de Ciro, pela Pérsia, em Esdras 1: 1.

A Pérsia em 536 A.C. dominou a Babilônia e o Mundo. Desta forma cumpriu-se a Profecia de 70 anos para o Reinado de Babilônia que começou em 606 A.C., enigmaticamente ( Jeremias 25: 12 ) ( Jeremias 29: 10 );

Jeremias 25: 12 = “Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, castigarei a iniqüidade do rei de Babilônia e a desta nação, diz o Senhor, como também a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas”

Jeremias 29: 10 = “Assim diz o Senhor: Logo que se cumprirem para Babilônia setenta anos atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar”

606 – 536 = 70 anos

Não confundir o Cativeiro dos Judeus pela Babilônia, de 70 anos, Profetizado por Jeremias 25: 11 e 12, com o Juízo de Deus, após 70 anos para o Reinado Mundial da Babilônia, profetizado por Jeremias 25: 12 e Jeremias 29: 10, que durou o mesmo Período, isto é, de 606 A.C. até 536 A.C.

PENSE NISSO: Interpretar a Bíblia literalmente é o mesmo que interpretar literalmente um Enigma

O Cativeiro dos Judeus pela Babilônia não foi apenas físico, mas também ESPIRITUAL, conforme mostra o período de 70 anos caracterizado pela destruição e com a conclusão da reconstrução do TEMPLO, antes da reconstrução da Cidade e dos Muros, de Jerusalém;

REFLEXÃO: Primeiro reconstruir o ALTAR da vida; para depois reconstruir os “muros e a cidade dos sonhos”.

 

Deus restabeleceu Sua presença na Terra Prometida com a reconstrução do Templo (Santuário), antes de reconstruir a CIDADE de Jerusalém e seus MUROS;

Deus estava dizendo ao povo JUDEU que eles precisavam, PRIMEIRO, buscar novamente o Reino dos Céus e a Sua Justiça, e, por isso o Templo foi reconstruído antes dos Muros e da Cidade, contextualizando com Mateus 6: 33;

Mateus 6: 33 = “Buscai, pois, em primeiro lugar o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”;

Fica evidente que para os JUDEUS , como Nação, buscarem novamente o Reino de Deus e a Sua Justiça, sob a Direção de Deus, necessitava do Lugar Santo em funcionamento, o que aconteceu no ano de 516 A.C. , com a inauguração do novo Templo, com os que haviam retornado para Jerusalém, sob a Liderança de ZOROBABEL, auxiliado pelo Sumo Sacerdote Josué ,e,  da marcante direção de Deus pelos Profetas AGEU e ZACARIAS ( Esdras 5: 1 );

Precisa ficar entendido que com a reconstrução e inauguração do TEMPLO, ficou caracterizado,  principalmente, o fim do enigmático CATIVEIRO ESPIRITUAL de 70 anos, isto é:

586 – 516 = 70 anos  – tempo que Deus estabeleceu, ENIGMATICAMENTE, para o Cativeiro ESPIRITUAL do Reino de Judá (Jerusalém); contextualizada, enigmaticamente, com a Profecia contida no Capítulo 7 do Livro de Jeremias;

 

PENSE NISSO;

 

Enquanto o cativeiro Físico, de 70 anos, foi realizado em três etapas ou períodos :

Começou em 606 A.C., continuou em  597 A.C. e 586 A. C.;

Terminou, enigmaticamente, também em três etapas, sendo a primeira em 536 A. C., com o retorno dos primeiros Judeus, com Zorobabel,  a segunda em 457 A.C. com Esdras, e a terceira com Neemias em 445 A.C.

O Cativeiro Espiritual, de 70 anos, foi realizado em uma única etapa ou período ININTERRUPTO:

Começou em 586 A.C.,com a destruição do TEMPLO;

 

Terminou em 516 A.C., com a inauguração do Novo Templo reconstruído, conforme as referências já citadas;

586 – 516 = 70 anos, em um único período, não deixa dúvidas quanto ao principal Juízo no complexo ENIGMA da profecia de Jeremias 7: 14, contextualizando com Jeremias 25: 11 e 12;

Jeremias 7: 14 = “Farei também a esta casa, que se chama pelo meu nome, na qual confiais, e a este lugar, que vos dei a vós outros e a vossos pais, como fiz a Silo”

 

DETALHE PROFÉTICO E ENIGMÁTICO:

 

-Farei também a esta casa = O Templo, foi destruído e reconstruído após 70 anos

-e a este lugar = os muros e a cidade de Jerusalém foram destruídos em 586 A.C., e começaram a ser  reconstruídos a partir de 445 A.C. ( 586 – 445 = 141 anos )

Jeremias 25: 11 = ” Toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; estas nações servirão ao rei de Babilônia setenta anos

Jeremias 25: 12 = “Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, castigarei a iniqüidade do rei da Babilônia e a desta nação, diz o Senhor, como também a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas”;

Jeremias 29: 10 = “Assim diz o Senhor: Logo que se cumprirem para Babilônia setenta anos atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar”

PENSE NISSO:

A Profecia de Jeremias está abrangendo, enigmaticamente, além de Jerusalém e o Templo, a própria Babilônia, as quais, pela complexidade, são motivo do assunto tratado, apenas Jerusalém, o Templo e os Judeus, bem como, os 70 anos referentes à Babilônia em Jeremias 29: 10.

O início da reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém começaram bem depois de reconstruído e inaugurado o NOVO TEMPLO :

Data da inauguração do NOVO TEMPLO = 516 A.C.

Data do início da reconstrução dos muros e da cidade de Jerusalém = 445 A.C

516 – 445 = 71 ANOS – enigmaticamente, misteriosamente, e aproximadamente um Período de 70 anos, porém no mesmo seguimento da Profecia, como um Período de Prova de Fidelidade.

Fica evidente que Deus providenciou a reconstrução do Templo, mas não permitiu a reconstrução imediata dos Muros e da Cidade de Jerusalém, para Provar se os Judeus tinham aprendido a Lição, de Fidelidade.

Não tenho dúvidas em afirmar que o Período entre a inauguração do Novo Templo e o início da reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém, foi, enigmaticamente, Juízo de Deus com Prova de Fidelidade, caracterizado, também, neste caso, um Período de Reflexão, Oração e Arrependimento, pois os Judeus aprenderam a Adorar somente a Deus, e, nunca mais foram Idólatras;

 

RESUMINDO :

Período entre os primeiros cativos de Judá ( 606 A.C. ), e os primeiros a retornarem à Jerusalém ( 536 A.C. ). Este Período, apesar de haver outras datas de cativeiro e retorno,  é considerado pelos Estudiosos da Bíblia como o que cumpre a Profecia de Jeremias 25: 11 e 12 , isto é,  70 anos;

Período entre a destruição do Templo ( 586 A.C. ), e a inauguração do Novo Templo ( 516 A.C. ), isto é, 70 anos ; Na minha opinião caracteriza um Cativeiro Espiritual contido misteriosamente na Enigmática Profecia de Jeremias 7: 14 e Jeremias 25: 11 e 12

Período entre a inauguração do Novo Templo (516 A.C. ), e o início da reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém ( 445 A.C. ), isto é, 71 anos; Na minha opinião caracteriza um Período de Prova de Fidelidade, para Reflexão, Oração e Arrependimento, demonstrado com a inexistência da Idolatria, não só nesse Período, nem nos anos que se seguiram;

Período entre a destruição dos Muros e da cidade de Jerusalém ( 586 A.C. ), e o início da reconstrução dos mesmos ( 445 A.C. ), isto é, 141 anos.Misteriosamente, o tempo do Cativeiro Espiritual somado ao Período de Prova de Fidelidade, isto é, o dobro do tempo Profético de 70 anos;

Foram duas gerações biblicamente ( Salmos 90: 10 ) sob a condição dos Muros e da cidade de Jerusalém, destruídos;

Considerando o período de 606 A.C. – início do cativeiro – até 445 A.C. – início da reconstrução dos muros – são, aproximadamente, 161 anos de um longo Juízo;

Não deixa dúvidas tratar de Juízo de Deus. Somente após todos os sobreviventes da época da destruição terem morrido, é que a reconstrução dos Muros e da Cidade foi iniciada;

Reflexão: Necessário se faz morrer em nossas vidas, os maus desígnios, para que os “muros e a cidade de nossos sonhos” comecem a ser reconstruídos;

Detalhe se não Enigmático, de certa forma curioso, em relação ao Juízo de Deus em Números 14: 29:

Período de tempo entre os primeiros CATIVOS e os últimos : 606 A.C. a 586 A.C. = 20 anos

Período de tempo, aproximado, de reconstrução do Templo   : 536 A.C  a 516 A.C. = 20 anos

Período do início do Reinado Mundial de Babilônia ( 606 A.C. ), e, sua derrota para a Pérsia ( 536 A.C. ), isto é, 70 anos; O fim desse Período foi Profetizado como Juízo de Deus, pelo comportamento violento praticado pelos Caldeus sobre os Judeus ( Jeremias 29: 10 ).( Jeremias 51: 24 );( Jeremias 52: 1 a 30 );

Nabucodonosor tinha conhecimento das Profecias de Jeremias de que Deus estava usando o Rei dos Caldeus para ser um instrumento de Juízo sobre os Judeus ( Jeremias 39: 11 a 15 ) ( Jeremias 25: 9 e 14 ), porém não foi magnânimo, mas cruel com os vencidos Judeus ( Jeremias 52: 10, 11, 27 ), por isso, o Juízo de Deus também sobre Babilônia;

O objetivo do Cativeiro como Juízo de Deus, para a Nação Judaica e para a Cidade de Jerusalém, foram pela não observância dos Preceitos da LEI ( Jeremias 9: 13 ), bem como, a não observância do Ano Sabático ( Levítico 26: 34 a 46 ) ( 2ª Crônicas 36: 19 a 21 ), entre outros pecados, e, principalmente, o pecado da Idolatria amplamente praticado pelos Judeus, a partir do Reinado de Salomão até Zedequias;

Quanto ao pecado da Idolatria, os Judeus aprenderam a Lição, pois não a praticaram mais após a volta do Cativeiro.

ESCLARECIMENTO IMPORTANTE

Não confundir o Período de 70 anos do Cativeiro dos Judeus pela Babilônia ( Jeremias 25: 11 e 12 ), com a Profecia das 70 Semanas de Daniel 9: 24 a 27;

A Profecia de Daniel 9: 24 a 27 começou a se cumprir com o início da reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém

Entretanto fica evidente que as duas Profecias estão intrinsecamente ligadas, como veremos mais adiante, e inseridas, profeticamente, no “ENIGMA DO SETENTA”.

 

AS PROFÉTICAS E ENIGMÁTICAS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

 

DANIEL 9: 24 = “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, para expiar a iniqüidade, para trazer a justiça eterna, para selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos Santos”;

DANIEL 9: 25 = “Sabe, e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas: as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos”;

DANIEL 9: 26 = “Depois das sessenta e duas semanas será morto o Ungido, e já não estará; e o povo de um príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, e até ao fim haverá guerra; desolações são determinadas”;

DANIEL 9: 27 = “Ele fará firme aliança com muitos por uma semana; na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações vira o assolador, até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele”.

Fica evidente que foi revelado ao Profeta Daniel um Tempo dividido enigmaticamente em três períodos:

Um período de SETE  semanas, isto é, 7 x 7 = 49 anos sacros;

Esse período começou com o Decreto do Rei Artaxerxes  conforme referência em Neemias 2: 1 a 6, sobre a restauração dos muros e da cidade de Jerusalém, isto é, 49 anos – O primeiro período caracterizou  a reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém; Data provável : Março de 445 A.C.

Precisa ficar claro que a Profecia de Daniel sobre o início das 70 Semanas, refere-se a Reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém, logo, o Decreto de Ciro, em Esdras 1: 1 a 11 e 2ª Crônicas 36: 22 e 23, serviu para Deus restabelecer Sua Presença no Lugar Santo, com a reconstrução do Templo, antes de qualquer outra iniciativa, contextualizando com Mateus 6: 33, sobre a necessidade de primeiro buscar o Reino de Deus e Sua Justiça, para que todas as outras coisas sejam acrescentadas;

Deus, primeiro usou a  Zorobabel, e o Sumo Sacerdote Josué, entre outros, conforme ampla exposição no Livro de Esdras para restabelecer o Altar de Deus ( Esdras 3: 1 a 7 ), bem como, a reconstrução do Templo ( Esdras 3: 8 a 13 ) ( Esdras 6: 13 a 22 ), e, posteriormente, cerca de 60 anos depois, o Escriba Esdras para restabelecer o verdadeiro Culto Levítico no Templo ( Esdras 7: 1 a 28 );

Durante a reconstrução do Novo Templo os Profetas AGEU e ZACARIAS participaram ativamente diante dos problemas que surgiram para impedir os trabalhos, como a interrupção por 10 anos,  mas usados por Deus foram fundamentais para motivar o término e inauguração do Templo ( Esdras 5: 1 e 2 e 6: 14 );

Precisa ficar entendido que o Período de reconstrução do Templo – de 536 A.C. a 516 A.C. -( cerca de 20 anos ) não tem nada a ver como o Período das 70 Semanas da Profecia de Daniel;

O Decreto de Artaxerxes, com Neemias 2: 1 a 6, contextualiza com a Profecia de Daniel 9: 25 sobre a Reconstrução da Cidade de Jerusalém e seus Muros, como início da Profecia das 70 Semanas de Daniel, isto é, o início do 1º Período de 49 anos; Março de 445 A.C.;

ENIGMATICAMENTE, a Profecia de Daniel 9: 25 começou a se cumprir, quando estava terminando o cumprimento da Profecia de Jeremias 25: 11 e 12, isto é, quando Artaxerxes decretou a reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém, contextualizando com o início das 7 primeiras semanas da Profecia de Daniel 9: 25, ao afirmar que os Muros ( circunvalações ) e a Cidade seriam reedificados, mas em tempos angustiosos, como aconteceu

O início da reconstrução dos Muros e da Cidade de Jerusalém começou 70 anos depois de reconstruído e inaugurado o NOVO TEMPLO, conforme explicado anteriormente:.

 

DANIEL 9: 25 = “Sabe, e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas: as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos”;

ATENÇÃO: “desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém” – isto aconteceu através do Rei Artaxerxes, sob a liderança de Neemias, no ano de 445 A.C. – terceira e última leva dos que voltaram do Cativeiro, fechando a Profecia de Jeremias 25: 11 e 12, e Jeremias 29: 10, e, iniciando a Profecia de Daniel 9: 24 a 27;

Jeremias 29: 10 = “Assim diz o Senhor: Logo que se cumprirem para Babilônia setenta anos atentarei para vós outros e cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar”

 

ATEN ÇÃO: “cumprirei para convosco a minha boa palavra, tornando a trazer-vos para este lugar” – a terceira e última leva dos que voltaram do Cativeiro, fechando a ENIGMÁTICA  Profecia de Jeremias 25: 11 e 12 e Jeremias 29: 10 ( cumprirei = tem sentido enigmático de conclusão )

SETENTA  ANOS = É uma referência enigmática que envolve períodos distintos e intrínsicos, conforme foram amplamente esclarecidos.

A construção dos Muros de Jerusalém levou 52 dias para serem completados, milagrosamente, ( Neemias 6: 15 ), porém a reconstrução dos Edifícios importantes e demais construções comerciais e residenciais ( Neemias 7: 4 ), além de toda infra estrutura de instalações (água, esgoto,etc), levaram, segundo a Profecia, 49 anos, apesar de não ter sido registrado algo que caracterize o término dos 49 anos, do 1º Período da Profecia de Daniel ( sete Semanas ), referente a Reconstrução da Cidade;

Neemias 6: 15 = “Acabou-se, pois, o muro aos vinte e cinco dias do mês de elul, em cinqüenta e dois dias”

Neemias 7: 4 = “A cidade era espaçosa e grande, mas havia pouca gente nela, e as casas não estavam edificadas ainda”;

O fato de não haver um acontecimento que caracterize o final do 1º Período de 49 anos, reforça a certeza da continuação do 2º Período de 434 anos, de forma enigmática;

Um segundo Período de 62 Semanas, isto é, 62 x 7 = 434 anos sacros;

Esse Período teve início na continuação do anterior e terminou com a crucificação de Jesus – O Ungido – Messias ; Esse Período caracterizou a preparação, nascimento e crucificação do Messias – Jesus, com o Templo, os Muros  e a Cidade de Jerusalém reconstruídos, e posteriormente, embelezados por Herodes;

Somando os dois Períodos temos 49 + 434 = 483 anos sacros; O Ano Judaico daquela época era de 360 dias = l2 meses de 30 dias;

Está faltando o último Período de 1 (uma) Semana, isto é, 7 anos para completar os 490 anos SACROS  previstos na Profecia de Daniel 9: 24 a 27; ( 483 + 7 = 490 anos )

Data provável do início das 70 Semanas: 14 de março de 445 – Decreto do Rei Artaxerxes (Neemias 2: 1 a 6)

Data final das 69 Semanas: 06 de abril do ano 32 da era Cristã – Crucificação do Messias – Jesus

Data do início da 70ª Semana: Quando Jesus – o Messias – arrebatar a Sua Igreja;

Data final da 70ª Semana: Após a Grande Tribulação ( 7 anos ), quando Jesus – O Messias – voltar com a Igreja Vitoriosa, após passar pelo Tribunal de Cristo ( 2ª Coríntios 5: 10 ) para receber o seu “Galardão”,  e início do Reino Milenial;

Considerando as margens de precisão, pelas dificuldades Cronológicas, em retroceder no tempo, as datas acima são frutos de esforço de estudiosos sobre a Cronologia Bíblica, amplamente divulgada na Internet, Enciclopédias e afins.

RESUMINDO:

 

Cada Semana da Profecia de Daniel representa 7 anos;

Devido as dificuldades em se estabelecer dados cronológicos precisos ao retroceder no Tempo, muitas são às especulações por parte daqueles que querem desacreditar a Bíblia;

Entretanto as comprovações Arqueológicas e os exatos e bem próximos valores das datas e períodos cronológicos considerados pelos estudiosos,  são atestados positivos das autenticidades e verdades Bíblicas;

A Profecia das Sessenta e Nove Semanas do profeta Daniel 9: 24 a 27, teve início com o Decreto para a reconstrução dos Muros e da Cidade de  Jerusalém expedido por Artaxerxes, Rei da Pérsia, no dia 14 de março do ano 445 antes de Cristo ( Neemias 2: 1 a 6 ), e terminou no dia 06 de abril do ano 32 da era Cristã, com a crucificação de Jesus;

Com a crucificação de Jesus haviam decorrido as “Sessenta e Nove Semanas”, isto é, 483  anos Sacros;

Na Profecia ficou revelado a Daniel que esse tempo de 490 anos seria divido em três períodos;

Falta cumprir-se o 3º Período, correspondente a  70ª Semana de anos, isto é, a última Semana – 7 anos sacros – para completar os 490 anos da Profecia de Daniel 9: 24 a 27;

A criação do Estado de Israel, em 1948, profetizado em Isaías 66: 8, não deixa dúvidas de que não passará esta geração em que se cumprirá a última Semana da Profecia; O “ENIGMA DO SETENTA” contextualiza a afirmação de que não passará desta geração a Volta de Jesus, para arrebatar a Sua Igreja, dando início a Grande Tribulação;

O Enigma do Setenta, em Artigo no Site, está próximo de chegar ao seu Pleno esclarecimento pelo cumprimento da última Semana de Daniel.

CONCLUSÃO

 

Os Livros de Esdras e Neemias são fundamentais para se entender o Período compreendido entre 516 A.C. até 445 A.C. , isto é, entre a inauguração do Novo Templo até o início da reconstrução dos muros e da cidade de Jerusalém; ( 516 – 445 = 71 anos )

A atuação de Esdras e de Neemias foi fundamental na correção dos pecados do povo judeu;

Esdras reorganizou o Sacerdócio Levítico ( Esdras 8: 1 a 36 ), a purificação, a observância da LEI e a correção traumática dos casamentos mistos (ilícitos) ( Esdras 10: 1 a 44 ) (Neemias 8: 1 a 18 );

Neemias tomou medidas contra irregularidades cometidas por Sacerdotes e quanto a observância do  “Dia do Senhor”, bem como, completou a purificação dos casamentos mistos iniciada por Esdras ( Neemias 13: 1 a 31 )

O Cativeiro Babilônico foi um Juízo de Deus pelos muitos pecados cometidos durante o reinado de Salomão até o reinado de Zedequias, seguido de um processo de purificação;

Da mesma forma a Grande Tribulação será um Juízo de Deus e um processo de purificação ( Zacarias 13: 8 e 9 )

A complexidade enigmática e misteriosa da  Profecia Bíblica está em que a sua aplicação pode ser apenas para a época da sua anunciação, ou estender-se para mais à frente no tempo, alcançando outras épocas, como  Profecias que estão cumprindo-se nos nossos dias, e estendendo-se para o futuro, ou, tão somente para futuro indefinido, isto é, Profecia específica como as Apocalípticas.

Por exemplo, a Exegese das Profecias em questão aplicam-se aos nossos dias à pessoa que saiu de algum “cativeiro”, teve o “altar de sua vida” reconstruído, e, está agora sob prova, esperando que os “muros” de sua vida sejam reconstruídos, e a “cidade” de seus sonhos voltem a ter pleno funcionamento, pela obediência e plena Fidelidade a Deus, contextualizando, também, futuramente,   enigmaticamente e misteriosamente com os muros e a cidade chamada Jerusalém Celestial ( Apocalipse 21: 9 a 27 ).

A Profecia de Jeremias 7: 14 , Jeremias 25: 11 e 12 e Daniel 9: 24 a 27, aplicam-se:

-aos que estão em desobediência;

-em práticas Idólatras;

-procurando os seus interesses e conveniências em prejuízo da Verdade Bíblica;

-colocando a prática do que está dando certo, em prejuízo do absolutamente certo

-trocando as bênçãos do Reino Celestial por um “prato de lentilhas”

O que assistimos no Cenário Religioso tem muito do que motivou o Cativeiro como Juízo de Deus para com os Judeus;

Não posso deixar de ressaltar a atitude do Escriba Esdras e Neemias quanto aos casamentos ilícitos ( Esdras 10: 1 a 44 ) ( Neemias 13: 23 a 31 ), isto é, de judeus com mulheres não judias ( pagãs e idólatras). Esdras começou e Neemias completou a limpeza dos casamentos mistos, proibidos pela Lei. A atitude traumática e dolorosa de obrigar a mulher e os filhos, muitas gestantes, com filhos em amamentação e menores, a voltar para o seu país de origem, através de longa distância, pelo deserto – em grande número – certamente mostra e ensina quanto a necessidade traumática e dolorosa de se corrigir pecados, atitudes e rumos heréticos:

Precisa ficar claro o que é  retroceder diante de uma missão por covardia ou prevaricação

Precisa ficar claro a necessidade de corrigir pecados e rumos heréticos, por mais traumáticos e dolorosos que sejam

CONCLUSÃO FINAL

A obediência produz bênção (Dt 7: 12). A desobediência e a prevaricação (Dt 8: 5), cedo ou tarde, terá o seu castigo ou conseqüências ruins, como aconteceu com : Adão e Eva; Abraão e Sara; Moisés; Jonas; Davi; Salomão, apenas como exemplos.

O exemplo de Moisés que bateu na rocha, ao invés de falar à rocha como Deus mandou, e, perdeu o direito de entrar na Terra Prometida (Nm 20: 7 a 13) (Dt 32: 48 a 52), e se teologicamente analisarmos o que acontece atualmente, chegaremos a seguinte conclusão, sem fazer juizo, mas a título de reflexão e alerta (Hb 3: 13):

Jesus veio para cumprir a Palavra dos Profetas (Mt 5: 17 a 20) e Deus vela sobre a Sua Palavra para  cumpri-LA (Jeremias 1: 12); os Seus Atributos como Misericórdia, Amor, Bondade, agem em favor das necessidades básicas: da cura; libertação e salvação; mas a Justiça Divina é a mesma ontem, hoje e será eternamente, ou não ?!

“Manda quem pode, obedece quem tem juízo”

Deus é Perfeito e age em função do conjunto de perfeição dos Seus Atributos;

Moisés que o diga nas águas de Meribá ! (Nm 20: 7 a 13) (Dt 3: 23 a 29) (Dt 4: 21 e 22). Quanto maior o Ofício, maior a responsabilidade.

Moisés prevaricou, segundo a Palavra de Deus (Dt 32: 51 e 52), o que deve ser motivo de profunda reflexão para quem tem Ofício diante de Deus, em face do que aconteceu com Moisés. É bom analisar o que é prevaricar, jurisprudência e não esquecer de vigiar!

É sempre bom refletir em 1 Tm 3: 1 ;  Lucas 12: 48 ; Hebreus 4: 1 a 16.

Amós 3: 7 –“ Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem primeiro revelar o seu segredo aos seus servos, os profetas”.

A Grande Tribulação – 70ª Semana da Profecia de Daniel 9: 24 a 27 –  vai ser  Cativeiro, e Purificação, por comparação ( Zacarias 13: 8 e 9 ).

PENSE NISSO:

INDIFERENÇA E INGRATIDÃO

Sobre este Assunto acessar a Seção “O AUTOR”, no Site.

…………………………………………X……………………………………….

“Este Artigo é de inspiração posterior à Publicação do Livro anunciado”

Na hipótese de ser importante, SUGIRO A INDICAÇÃO  do Artigo e o SITE.

Próximos Assuntos a serem incluídos no Site, paulatinamente:

– O Profético e Enigmático Arrebatamento da Igreja de Cristo

– O Enigma da Grande Tribulação

– O Profético Reino Milenial

– Sinais de Deus antes de Juízo

– Etc

OBS: Na hipóteses de concordar que o Assunto é importante, copie o endereço do Site www.assuntospolemicosdabiblia.com imprima o máximo numa folha A4, corte em pedaços, e distribua, como instrumento de fazer a Obra do REINO DE DEUS.

10 comentários para O ENIGMA PROFÉTICO DAS SETENTA SEMANAS DE DANIEL

  • Wagner Monteiro  disse:

    Muito bom irmão. E ainda tem gente que duvida. Glória a Deus pelo seu entendimento.

    • Onir Francisco Damas  disse:

      Prezado Wagner Monteiro

      Obrigado pelo contato e pelas palavras de estímulo

      Procure alcançar as pessoas em geral com a divulgação do Site;

      Fique na Paz de Jesus.

      Onir

  • ALEX SANDRO PEÇANHA COELHO  disse:

    QUE O SENHOR CONTINUE LHE DANDO SABEDORIA NAS REVELACÕES DO ALTO PARA IGREJA DELE NA TERRA. UM ABRAÇO.

  • vamderligia  disse:

    que o Senhor Deus o soberano o capacite cada dia mas com essa sabedoria que vem do alto.muita coisa eu não entendo nas to pedido ao Senhor Deus sabedoria para aprender pós amo a palavra de Deus.muito obrigado por passa para nos toda essa revelação.

  • bruno  disse:

    valeu pelas imformações, tnho um trabalho sobre o império medo pérsa, essa pesquisa chegou bm na hora…….q Deus continue t usando….

  • valdir  disse:

    Gosto muitos destes estudos envolvendo profecias, suas complexidades de interpretação, requer um profundo estudo e discernimento que poucos possuem, por se tratar de uma forma totalmente espiritual e também de uma forte vontade de interpreta-las.
    Continue trazendo suas descobertas e esclarecimentos aos que ainda não possuem, não as oculte, pois, estamos tentando chegar ao um consenso da iminente volta de nosso Senhor, Amém !! Fique na paz e que Deus continue ti abençoando.

  • Carlos Roberto  disse:

    Estudo necessário para todo verdadeiro Cristão.

  • HAMILTOM T. ASSIS  disse:

    gostei muito tirei algumas duvidas que Deus continue te abençoando neste ministerio.

  • rodrigo  disse:

    Muito bom é um aprendizado profundo enquanto + conhecimento melhor ainda mais da palavra de Deus.

  • Samuel da Silva  disse:

    Muito bom. Sem meias palavras e sem heresias. A bíblia explicada unicamente.

Comente

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>