Assuntos Polêmicos da Bíblia | DIA 13 DE ABRIL – DIA DO HINO NACIONAL
16057
post-template-default,single,single-post,postid-16057,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-16.7,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive
 

DIA 13 DE ABRIL – DIA DO HINO NACIONAL

DIA 13 DE ABRIL – DIA DO HINO NACIONAL

Corpo, Alma e Espírito no Hino Nacional

No dia 13 de abril comemora-se o DIA DO HINO NACIONAL, por ter sido executado pela 1ª vez, nessa data, no ano de 1831, durante as manifestações de júbilo pela abdicação de D. Pedro I.

O HINO NACIONAL é composto de música de FRANCISCO MANOEL DA SILVA e do poema de JOAQUIM OSÓRIO DUQUE ESTRADA.

O HINO NACIONAL é a voz de uma Nação. Da mesma forma que a BANDEIRA é o Símbolo máximo da nacionalidade e reflete sua Imagem, O HINO NACIONAL é a voz e reflete na letra e na música a sua alma.

Ao ouvirmos o HINO NACIONAL, sentimos a sensação de desprendimento e nos transportamos através da História e do Espaço Geográfico, numa viagem fora do corpo.

É como um êxtase. É preciso estar em harmonia a ALMA com a letra e música, e o ESPÍRITO com a introdução inicial, introdução à 2ª parte e acordes finais.

Nesses momentos é preciso esquecer as dificuldades, os problemas e os desacertos, e acreditar no presente com os olhos no Futuro.

O HINO NACIONAL, ao ser composto em música, apresenta duas introduções na primeira e segunda parte e uns acordes finais.

Essas introduções e esses acordes finais nos levam a pensar que a ALMA e o ESPÍRITO do Compositor, agiram em sentido transcendental, a fim de mostrar ao Cidadão brasileiro a necessidade de parar para fazer um momento de REFLEXÃO no início, no meio e no final de sua execução solene.

Fazendo um paralelo com a conduta de Vida, o HINO NACIONAL, procura, de forma transcendente, orientar o Cidadão no sentido de colocar em 1º lugar a presença de DEUS em toda e qualquer iniciativa. Mostra também a necessidade de REFLETIR no meio da jornada e AGRADECER A DEUS no final.

Tanto na primeira como na segunda parte do HINO NACIONAL, nós sentimos a sutil influência da ALMA e do ESPÍRITO como necessidade CÍVICA. É num momento como esse que a VIDA se completa. CORPO, ALMA e ESPÍRITO.

O CORPO –  o ser natural – a matéria orgânica

A ALMA – o ser imaterial que coloca o Corpo em contato com o mundo físico, caracterizado por todas as manifestações de sentimentos, emoções, desejos, necessidades, etc., etc. … (amor, dor, ódio, alegria, tristeza, sede, fome, etc., etc. …)

O ESPÍRITO – o ser imaterial que coloca o Corpo em contato com o mundo espiritual (DEUS), através da reflexão, Culto, Adoração, JEJUM, Oração, FÉ;

Desta forma, o HINO NACIONAL nos conduz, em CORPO, ALMA e ESPÍRITO, a amar com mais ardor a nossa PÁTRIA.

Sua Letra e sua Música preenchem o vazio CÍVICO de nossa ALMA, e as breves introduções às primeira e segunda partes, nos dão a oportunidade de preencher o vazio CÍVICO do nosso ESPÍRITO, em breves orações silenciosas, e, ainda, AGRADECER a DEUS, nos acordes finais.

Esses momentos de REFLEXÃO nos dão a oportunidade SOLENE de elevar o pensamento a DEUS, em favor da PÁTRIA , através de JESUS CRISTO, conforme SUAS próprias Palavras em JOÃO 14:6.:

“Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao PAI, senão por mim”.

Onir Francisco Damas

 

onir
contato@assuntospolemicosdabiblia.com
No Comments

Post A Comment

Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome. & GeekyCube.